sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Lixo no espaço, lixo na Lua

Você certamente já sabe do lixo espacial que circunda nosso planeta, não é mesmo?
São milhares e milhares de objetos, dos tamanhos mais variados, de grandes satélites de comunicação agora calados a pedacinhos resultantes de colisões entre dois satélites - como a recente entre a o já desligado Kosmos 2251 e o ainda então ativo Iridium 33. Os dois se desintegraram com o choque e adicionaram mais 2 mil pequenos itens à enorme coleção de lixo espacial. Ela é mais ou menos assim:



Mas nós, humanos, somos especialistas em produção de lixo.
Então, além de encher a Terra e o espaço que a circunda, já começamos também a colocar lixo na Lua. Este é um dos saldos das missões Apollo, que encerraram seu ciclo há 40 anos. E é muita coisa.

O equipamento de comunicações em primeiro plano ficou lá
Estão abandonados em solo lunar mais de 70 máquinas de exploração, incluindo jipes lunares, bases de módulos de pouso e orbitadores que caíram.
Mas a lista é ainda maior e inclui coisas como cinco bandeiras norte-americanas, duas bolas de golfe, 12 pares de botas, várias câmeras de TV, embalagens de filme, 96 - que nojo - sacos com urina, fezes e vômito, muitas câmeras fotográficas e acessórios, vários dardos improvisados (brinquedos na gravidade baixa), martelos e ferramentas variadas, mochilas, cobertores, lenços usados, itens de higiene pessoal, embalagens vazias de comida, uma fotografia da família do astronauta Charles Duke, uma pena de um falcão, mascote de uma expedição, uma pequena escultura de alumínio - homenagem a astronautas mortos -, uma medalha em homenagem a dois cosmonautas russos, um disco de silicone com mensagens de 73 líderes mundiais.
Já é coisa, já é muita coisa.

Um comentário: